30/05/2008


Singular...


Não tenho dois Corações,
Tão menos dois Sentimentos...
Sou levada na vida
Por emoções
Singulares...

Não sou duas em uma...
Sou apenas uma só...
Quando amo,
Sou completa,
Se me machuco,
Sou direta.

Não quero entender razões
Que para mim são
Desnecessárias...
Ou é ou não é...

Ou ama ou não ama...
Provoque lágrimas
Ou as enxugue...
Diz adeus...
Ou fique...

(Cida Luz)
Respeite autoria

Bsb/DF

Doçura...


Sinta meu amor, solte-se
Na minha vida...
Deixe-me ser mais
Que tu pensas e
Tudo que queres...

Arrisque-se,
Detenha-me
Dentro do peito,
Acolha-me
No abraço quente...

Seja homem Romântico,
Carente...
Envolvente...

Desperte a doçura no olhar,
Através dela,
Saberei como te amar...
Beijar...
Encantar...
E toda em você ficar...

(Cida Luz)
Respeite autoria.

Bsb/DF

Eu e você...


Sem promessas
Escravizando a alma...
Sem palavras que
Necessitem tradução
Perfeita...

Sem temores que
Possam colocar em dúvida
Tamanho amor...
Somente um encontro
Acariciado pela
Delicadeza da ternura...

Eu e você...
Nada mais...

(Cida Luz)
Respeite autoria.

Bsb/DF

Certeza...


Alma serena,
Saciada na paz de
Um amor que se
Faz imenso somente
Por ser amor pleno
Na sua certeza
De existir...

Por acontecer em corações
Cúmplices...
Enamorados...
Felizes por amar...

(Cida Luz)
Respeite autoria.

Bsb/DF

Jamais Sozinhos...


São carinhos ganhando espaço
No coração...
Jeito de amor chegando
Para não ser esquecido
Em qualquer emoção...

Paz que alivia a tristeza
Quando a intensidade da
Saudade faz morada
No desejo de um beijo...

Ser feliz em sentir a presença
De um encanto que fascina,
Mesmo na distância que Atormenta...
Felicidade do gesto
Sublimado pelo carinho,
Não revelado...

Mas compreendido em todas
Intenções...
Alma sorrindo...
Levando com ternura
A certeza de que em nenhum
Momento,
Estaremos sozinhos!...

(Cida Luz)
Respeite autoria.

Bsb/DF

Vazio...


Sim...
Provoque mágoas em
Meu coração,
Será melhor assim.
Saber em que momento ficou
O que era bom de sentir
É impossível...

Nada mais se faz importante
Quando tudo já se perdeu
Na incompreensão dos nossos
Desejos...

Quando medo apavora e destrói
A perfeição de um sentimento...
Cumplicidade quebrada...
Solta no vento das ilusões
Que vagam sem direção...

(Cida Luz)

Preserve autoria.
Bsb/DF

20/05/2008

Sabes de mim...


Sentes minha ansiedade
Em tua ausência...
Mesmo que o silêncio
Tome por inteiro minha alegria,
Sabes da inquietação que
Envolve meu coração...
E vens colocando a certeza
Do teu amor que somente
Eu sei...
Em suaves gestos
Devolves-me a serenidade
Almejada para que de ti,
Eu não me perca...
Para que eu te espere de
Peito aberto, feliz pela
Cumplicidade amante minha e tua...

Sussurras em pensamento meu
Nome, diz-me palavras que
Seduzem a saudade,
Levando-me para perto de ti...
Então chega-me a paz do teu
Encanto que fascina,
Do teu querer único que
Invade e toma posse...
E me deixa feliz...
Assim...
Amada!...

(Cida Luz)

Bsb/DF
Respeite autoria.

Apenas um sonho...


Seu amor fez caminho

Em meu coração.

Desnudou inseguranças,

Motivou a alegria...

Fez-me feliz.

Abracei sua ternura

Que tão bem se encaixava

Em meus dias, momentos

E lembranças...

Deixei sorriso solto

Na saudade, pois sabia

Da sua existência,

Da certeza de um novo

Encontro a cada amanhecer...

E foi nessa doce ilusão

Que entreguei meu sentimento

Tímido...

Libertei a euforia enamorada

Por gestos, versos, canções...

Hoje são recordações na memória

De quem amou demais...

De quem acreditou em um sonho

Impossível que se perdeu

No sopro do vento da desilusão...


(Cida Luz)

Bsb/DF

Respeite autoria.

Desencontros...


Foi na ânsia de segurar-te

As mãos que me perdi...

Somente o vão de desejos

Ficaram na ilusão de um amor

Condenado a sofrer...

Resta o olhar em horizonte

Incerto a espera da

Estação fria, que cobrirá

O coração que um dia sentiu

O calor da paixão

Aquecer o coração...

Desencontros do destino...

Apenas verdades de uma realidade

Crua, inevitável...

Um amor que não pode ser,

Vidas marcadas por

Vontades reprimidas...

Lágrimas apaixonadas,

Perdidas no silêncio

Da alma...


(Cida Luz)

Bsb/DF

Respeite autoria.

Enganos do coração...


Enfim a certeza do amor

Que morre no peito...

Sentimentos errados,

Em momento tardio...

Somente um vazio que

Agora habita o coração...

Necessidade de um olhar

Mais profundo para dentro

Da vida...

Nada será mais doloroso que

A ausência da alegria.

Destino que se fez irônico

Quando deixou acontecer

Uma esperança de felicidade

Na solidão tão companheira...

Resta abrir os braços e acolhê-la

Novamente...

Antes não sentisse a ternura de

Um querer sem promessas...

Antes não encontrasse a paixão

De mãos dadas com a ilusão...


(Cida Luz)

Bsb/DF

Respeite autoria.

Recanto do amor...


Lá onde viceja natureza

Mora meu amado...

Verdejantes paisagens que

Inspira o amor puro...

Manso regato dos carinhos

Em que quero perder-me.

Junção do sublime

Com proteção divina...

Flores a me esperar...

Anjos acompanhando

Coração pronto

Para amar...

Doce criatura que desperta

Querer sincero...

Recanto do amor...

Meu lugar...


(Cida Luz)

Respeite Autoria.

Bsb/DF

Brilho de uma Mulher...


Enfim vejo-me...

Toco minha essência e

Descubro a mulher que brilha.

Casulo milenar rompe-se,

Asas em cores vivas recebem

A graça do horizonte promissor...

Temores largados no passado

Incrustado de esperas...

Momentos adiados perdidos

Em lágrimas inseguras...

Flores que ornam caminho

Exaltando vontade de voar

Em céu seguro,

Além, muito além...

Cânticos que traduzem euforia

De liberdade tão sonhada...

Eis a mulher...

Plena...

Convencida do amor,

Da vida...

A que reluz!...


(Cida Luz)
Preserve autoria.

Bsb/DF

16/05/2008

Gosto tanto...


Gosto tanto quando você chega

como quem nada quer querendo tudo...

Gosto quando um sorriso ilumina seu rosto

ao me ver na espera...

Malícia incontida.

Gosto tanto quando me descubro em você,

Nos seus gestos, poemas, pensamentos e palavras...

Gosto tanto quando tece carinhos por meu corpo

com a suavidade do toque de quem está apaixonado...

Gosto tanto quando me obriga a decifrar seus

desejos que a timidez não permite revelar,

mas eu sinto... E gosto...

Gosto tanto quando me aperta em braços fortes,

como setivesse medo de me perder...

Gosto do hálito quente da sua boca quando

devagar procura a minha que se entrega

a doce sensação do seu beijo que entontece...

Entorpece...

Eu me rendo...

Gosto tanto...


Cida Luz

Bsb/DF

Preserve autoria.

Talvez...


Nada poderá reverter o que se tornaram mágoas.

O amor, antes infinito hoje se esvai

feito areia entre dedos...

Culpados?

Melhor não condenar atitudes impulsivas,

Venenos destilados no momento da ira...

Fomos inteiros enquanto houve liames de ternura...

Restam apenas fragmentos do que um

dia acreditamos ser real, intocável, sólido...

Talvez tenhamos que engolir o

orgulho e reconhecer o fracasso

sem querer rotular quem foi pior...

Erramos, e a dignidade prevalece sempre...

Talvez possamos olhar-nos de frente

Sem dor e sem rancor...

Esperança remota...

Somente com gosto de um talvez...


Cida Luz

Bsb/DF

Preserve autoria.

Intrusa do meu Eu...


Agoniza até último instante alma estúpida...

Face obscura

Que dilacera...

Que invade sem piedade!

Não é teu domínio este!

Vai-te de vez!

Algoz de meus ais...

Teu pouso pertence à outra casa!

Escolheste-me erroneamente!

Tua triste sina não cabe na minha!

Retira-te bruscamente antes que o dia

Perca luminosidade!

Alma doente!

Tanto pranto por quê?

Para quem?

Habitas-me...

Covardemente me tomas...

Em qual pecado despejo rendição em ti?

O mundo meu tem que ser luz!

Não morbidez cruel...

Confundes-me!

Tal qual dona de minhas vontades,

Torna-te risonha diante de amargor

Que me sucumbe...

Morre alma insana...

Deixe caminho florido despontar.

Se te dei esperança para ocupar-me,

Desavisada estava!

Isenta-me de continuar acomodada em ti...

Masoquista que sou...

Piedade...

Vai-te de mim!...


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Inevitável...


Triste momento...

Quando mãos soltam-se

Na vontade de segurar o aperto...

Quando pranto sufoca palavras de súplicas

Estampadas no olhar.

Silêncio de dois corações dilacerados...

Quando se sabe que feito areia entre dedos,

Esvaem-se juras que pareciam eternas...

O grito calado que o mundo deveria ouvir.

Impotência diante do inevitável...

Almas separadas...

Destino de um amor

Que já foi prometido em outras vidas...


Cida Luz

Bsb/DF

Preserve autoria.

Bravo!


Danço a liberdade do coração...

Bailarina embriagada de paixão.

Lágrimas e risos...

Agonia aplaudida de pé por

Platéia de sentimentos feridos...

Brilhante ao representar

Perfídia incrustada na alma.

Soluços harmonizados

Com alegria mascarada...

Ascensão da dor...

Decadência do amor...

Inebriada no palco da desilusão.


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Já não há flores...


Se houve desencontros esconde tua dor...

A minha já passou.

Foste leviano quando abordou meu coração

Sem intenção de fazê-lo feliz.

Feito jardineiro revolveu terras virgens...

Semeou...

Colheu flores viçosas que exalavam perfume

Em momentos nossos.

Não regaste depois...

Secaste teu jardim.

Tardia veio consciência a te condenar...

Tuas flores murcharam.

Já não há lugar fértil para teu novo plantio.

Desfez-se a beleza rara que não soubeste

Zelar...Minha dor passou...

Aprenda com a tua.

Leve apenas como lembrança às vezes

Que enfeitei tua cama com as pétalas

Arrancadas do meu corpo...


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Olhe para o céu...


Diante da dor que te consome...

Diante da incerteza se me vê em teu mundo,

Olhe para o céu...

Em cada amanhecer verás nuvens formando-se

No horizonte...

São minhas angústias preparando-se para mais

Um dia sem ti...

Estou em teu caminhar...

No entardecer...

Quando sol se põe...

Prenuncio de solidão.

Sinta vento brando roçando tua face...

Sou eu levando meu carinho...

Na noite impiedosa onde tudo se torna intenso,

Também intensa é minha vontade de ti.

Se fores chorar, antes volta teu olhar para o céu...

Sou a estrela que reflete um bem querer sem limites...

A luz que brilha em teu olhar.

Uma verdade colada na tua...

Deixe-se em silêncio.

Ouvirás minha voz num murmúrio de amor...

Palavras doces em teu lamento.

Se tu morres na saudade de mim,

Aqui lágrimas perdem permissão...

Olhando o mesmo céu...


Cida Luz

BsB/DF

Respeite autoria.

Nada importa...


Que importa agora se desnudo meus sentimentos...

Tudo de mim está na tua vida.

Não há limites para o amor que te oferto.

Sem reservas me entrego...

Acolha-me em algum cantinho do seu...

Transforme em realidade o que em sonho recebo.

Teu abraço que amortece a razão...

Alegria em pertencer-te.

Amando-te com a alma submissa...

Tua vontade imperando...

Em outro mundo me perco.

O que importa se não há volta...

Estou apaixonada...


Cida Luz

Bsb/DF

Preserve autoria.

Nova Estação...


Reprimida nesse vazio de ti,

Tento encontrar motivos que

Alcancem minha lucidez.

Não existe beleza na florada do campo...

Só a via por teus olhos.

O perfume das rosas amarelas...

Somente quando as me ofertavas...

O remanso do pequeno rio não me envolve...

Era tu quem me levava a plenitude quando,

Em silêncio nos perdíamos na natureza...

Sincronia perfeita sob céu azul...

O sabor das frutas perdeu-se...

Era em tua boca que experimentava o mel

Silvestre que espalhava tua doçura por

Todo meu corpo...

Lambuzava-me de ti.

Não demores...

Chegues junto com nova estação.

Minhas vontades contigo ficaram.

Foste...

E levaste meu ar...

Não demores.

Necessito respirar.


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Não me olhes...


Não me olhes assim...

Podes descobrir o que tento ocultar.

Mal sabes dos espinhos que me ferem...

Tenho marcas que escondo.

Sou toda arisca...

Tens que saber chegar.

Cuidado onde pisas...

Pode ferir-se...

Minha estrada é feita de cercas que

Construí.

Farpadas.

Palavras são poucas...

Sou toda atitude.

Não se comova...

Sou dura feito aço.

Terás que ser bom alquimista...

Dizimar mágoas...

Descobrir minhas essências.

Provocar mistura que exala confiança...

Não me olhes assim...

Meu medo é maior que teu desejo.

Podes sangrar...

E dar-te-ei as costas...

Irá meu nome gritar...

Meu horizonte será o mesmo.

Não me olhes assim...

Não com vontade de mim!...


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Cumplicidade...


Gosto do som do teu riso...

Tua voz mansa acalma coração célere.

Todo meu ser vibra em festa na tua chegada...

Teu abraço inebria com jeito de saudade.

Faz-me vulnerável nos carinhos largados

Em meus cabelos...

De tudo, o melhor é estar no teu querer.

Se me desnudas com um olhar, rendo-me...

Se tua boca toma a minha, perco o rumo...

Delicias de um amor real, intenso.

Amor sem fronteiras dentro de nossos desejos.

Diz-se meu...

Quando me faço tua.

Cumplicidade de amantes...

Somos nós...

Sublime sintonia...

Sempre!...


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Dá-me tua mão...


Dá-me tua mão.

Guia-me para perto de ti.

Acolha-me em abraço forte...

Deixe meu cansaço findar em teu colo.

Perdi-me em becos escuros da solidão...

Sabia de ti!

Existias na saudade sem nome...

Surgiste...

Luz, inspiração.

Determinou fim da tormenta.

Nada mais preciso...

Encontrei meu abrigo.

Amor...

Dá-me tua mão!...


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Motivos para não me amar...


Meu coração é doente...

Dói-me todo por dentro,

Proibido amar...

perecerá a qualquer momento...

Meu coração é bandido,

sem apegos,

Rouba preciosos sentimentos,

usa,abusa e joga fora...

Meu coração é bicho do mundo...

Não tem pouso, vida cigana,

Ele não deixa rastros, apenas saudades!

Meu coração é manhoso...

Se tomar posse, tem que ser com tudo,

não deixar espaço.

Nada de dúvidas ou solidões...

Somente ele pode provocar abandonos...

Meu coração é pobre de amor...

Já foi ferido...

Conhece o caminho dos espinhos que

as rosas do teu querer

Oferecem!

Ele é todo ilusão.

Vá embora...

Melhor não me amar...


Cida Luz

Bsb/DF

Respeite autoria.

Vazio de nós dois...


Tudo por dentro é deserto...

Coração sem manifesto,sem eira.

Só tua presença completa,ilumina

feito raio de sol em tempo nublado.

Pulsa forte esse querer,desejo de ti.

Tuas mãos...

Meu corpo pede tuas carícias..teu abraço forte...

Sinto o vazio de nós dois...

Feito secura que tua umidade salva

eu te imploro...

Inunda meu ser com tua chuva de prazer,

Com tudo que tens para me oferecer...

E quando submissa,entregue a ti

Serei fonte fecunda jorrando nosso amor...

e o vazio de nós estará cheio,

repletode gozo e paz!...


(Cida Luz)

16/05/08

Bsb/DF

Respeite autoria.

A Voz do Amor...


Quando doce voz chegar ao teu coração

Escutai...

Ouvirás poemas melodiosos...

Suaves feitos

Carícia que aquece.

Quando sentir que todo teu ser clama por

Momento de paz esqueça os males que te rodeiam...

Terás lenitivo de que tanto necessitas.

Escutai a voz do amor...

Quando desalento roubar esperanças e diante

De ti erguer-se mundo frio e cinzento,

Escutai a voz do amor...

A alegria em gotas multicoloridas

Invadirá o que jazia sem vida...

Quando tudo parecer impossível e quiseres desistir

Silencie-se...

Deixe coração livre.

Escutai a voz...

Verás que teus temores mostrar-se-ão

Apenas poeira levada pelo vento...

Um novo caminho diante de ti se apresenta...

E compreenderás que o mais importante é

Aprender a ouvir a voz do amor...


(Cida Luz)

23/11/07

Bsb/DF

Respeite autoria.

Sombras...


Do que fomos, do que pensávamos ser nada mais...

Sombras...

Fui aquela que te amou...

Que na tua vida fez morada.

Tu aconteceste em mim...

Em vão...

Que fazer?Dúvida atormenta triste alma.

Olho-me...

Piedade do que vejo.

Caminho...

Não existe estrada.

Pranto confuso...

Vê o que fizeste?

Eu fui santa!

Eu fui profana!

E tu dono dos meus sentimentos...

Sujaste com ironia santuário que abrigava teu amor...

Sombras...

E o que posso esperar?

Antevejo minha desdita,

Solidão grita em meu silêncio...

E na casa da esperança tudo jaz sem vida...

Só encontro sombras...


(Cida Luz)

22/11/07

Bsb/DF

Respeite autoria.

Expectativa...


Teu percurso é rio estreito.

Sigo calada, apostando nos instintos...

Deixo a marca do amor no teu leito.

Recuas, esnoba a dor...

Insisto.Meu canto, reduto, seu rumo...

Disfarças e fascinante te vejo.

Teu silêncio alimenta minha vontade.

Prende-me quando não sabe a porta fechar.

Expulsa-me do teu jeito

E sempre aquela tênue luz que sai

Da porta entreaberta...

Tua esperança...

Uma lágrima, um grito Contido...

Curva teu corpo tocando minha

Essência que em ti ficou.

Espera-me em doce e agonizante

Expectativa...


Cida Luz

16/05/08

Bsb/DF

Respeite autoria.

15/05/2008

Dueto...


...Multiplica em Mim Sua Tenaz e Doce Vontade,

Da Proximidade,Afinidade,

Dependência Emocional Recíproca,

das Nossas Mais Tolas Vaidades e

O Mais Sentido dos Ciúmes...

Nos Cuidamos, Um ao Outro,

Na Forma Mais Ímpar do Bem Querer,

Nos Guardamos no Mais Secreto Segredo,

Privacidade...

Negamos,a Todos Amigos Interessados

em Saber eParticipar Do Que é Só Nosso...

Dueto,Com Todas as Diferenças,

Que Nos Fazem Tão Iguais,

Que de Dois Nos Tornamos Um,

Sem Necessidade de Explicações.


Nos Amamos!...


_MAXUEL SCORPIANO_

14/05/08

(Meu poema...)

Quando Chegaste...


Foi diferente...

Quase irreal.

Sensações loucas, travessas,

surgiram feitas forte vendaval,

arrastando mágoas em meu peito...

Mostraste que não existe

momento previsto,

ou alguém escolhido...

Fez-me criança implorando pelo doce...

Minha boca pedindo teu beijo...

Banhei-me no mar da tua sedução,

senti pêlos do meu corpo

eriçados ao simples desejo

de tuas carícias...

Assim querido, chegaste...

Dominando...

Tomando posse...

Levando para ti, o que, de fato,

és o dono por direito e merecimento...

Todo o meu amor!...


(Cida Luz)

15/05/08

Bsb/DF

Respeite autoria.

Se sentes suadade...


Se sentes saudade de alguém,

terás uma máquina

Com lâminas afiadas em teu peito

funcionando lentamente...

Teu sangue esvairá feita fonte

que jorra todo sentimento que agoniza teu ser...

Em tua face lágrimas irão verter

o passado tão presente...

Saíras de ti...

Irás tocar mãos que já não estão...

Em tua frente terás o sorriso que há

muito não vês...

A sensação doce de um calor que emana

do ser tão amado te envolverá...

Pensarás que a insanidade

alojou em teu coração.

Mero pressentimento...

O que vivencias não é nada mais

do que ficou eternizado em tua vida...

A certeza de que tiveste o privilégio de sentir...

E nesse momento, agradeça cada instante.

Pois tens saudade...

E só se tem saudade do que foi bom...

Do que valeu...

Do que dentro de ti nunca morreu!


(Cida Luz)

01/11/2007

Bsb/DF

Respeite autoria.

(Este em homenagem aos meus irmãos

que partiram para junto de Deus.)

Eternamente...


Doce enlevo traduz a calmaria desse amor.

Pertencer-te querido faz-me acreditar na vida...

Acreditar que existe o lugar da felicidade,

Certeza de que nada poderá nos privar de amar...

Sentimento único na paz em que nos oferecemos

Quando lado a lado, a cumplicidade nos aproxima...

Nos encaixa...

Nos faz amantes incondicionais.

O mundo resume-se em nós...

Dança de corpos perdidos no descompasso

Do coração que explode paixão desmedida...

Murmúrios, lágrimas, sorriso...

Entrega...

Sublime encanto...

Laço de ternura que nos prende.

E em teus braços me deleito...

Minha promessa

Tatuada toda em você...

Promessa feita no silêncio da

Sensação de em ti morrer...

Amar-te hei meu amor...

Eternamente!


(Cida Luz)

16/11/07

Bsb/DF

Respeite autoria.

Sob a Luz que me guia...


Sob a Luz que me guia vou

encontrando meu caminho...

A cada passo espalho vestígios de

esperança para

Que não se percam os que me seguem.

Um sentimento renovado,

certeza do porvir abençoado.

Solto meu riso sem medo de ser feliz...

Acredito na força do meu coração

e na fé de quem

Estende-me docemente a mão.

Sob a luz que me guia, absorvo cada cura...

Cada energia que transforma, restaura meu ser.

Desarmada do egoísmo de permanecer na solidão,

Abro meu mundo, escancaro meu jeito de viver...

Abraço com fervor meus temores,

afasto invejas, destruo

O pessimismo e renasço...

Iluminada, preparada...

Desejando-me boa sorte...

Sob a luz que me guia.


(Cida Luz)

21/11/07

Bsb/DF

Respeite autoria.

Coração Valente...


Voe coração, te livro dessa prisão.

Afasta de ti a tristeza, procure vida...

Dou-te o direito de buscar o rumo de tua ilusão.

Nada me deves a não ser a felicidade.

Não olhes para trás, alça teu vôo, acompanhe

Brisa que te mostra à direção...

Por onde passares vá deixando

pedaços do incompreendido.

Teu cárcere feneceu, tua busca

arde feito brasa viva!

Nas veias que acolhem o sangue forte,

mora tua esperança.

Suba alto, muito alto...

Sinta o conforto da bonança que te acolhe.

O túmulo de tuas desditas já se fez antigo...

Esqueça.

Domine a leveza de ser livre.

Tua altivez será tua grandeza e perseverança...

Pois apenas um coração valente pode vencer...

Voe, voe alto, alto...


(Cida Luz)

08/11/07

Bsb/DF

Respeite autoria.

Dor de Amor...


Alma dolorida que canta tamanha dor...

Exalta tuas dores entoando a melodia de

Quem ama com fervor,

com doçura e mansidão.

O vento leva teu lamento de encontro ao amado.

Liberta num gemido de agonia a saudade impiedosa

Fazendo-te retirante da vida

sem sentido na ausência

De quem tanto quer bem.

Ouça alma minha...

É teu canto de dor.

Renuncia aos teus medos e sinta o que te fere...

O que te faz murmurar tristes ais.

Diz que sem teu amor não viverás e nada

Aquietará corpo trêmulo no desejo de um beijo.

Ampare essa dor cega, mutilada, surda...

Deixe-a cativa e não temais...

Ela é vida, é luz...

É dor de amor!...


(Cida Luz)

06/11/07

Bsb/DF

Respeite autoria.

Aquele Amor...


Senti todas as emoções...

Beijei,abracei,fiz promessas na loucura da paixão,

Agradecida pelo momento.

Meu coração enganado fazia-me um apelo:

Onde está aquele amor?

Aquele que realmente tu queres?

Amor igual ao meu...

Aquele meu amor...

Amor calmo, amor sério, amor que renuncia.

Amor amante, amor amigo.

Amor forte, todavia suave feito brisa que refresca...

Amor quente, amor conseqüente, amor envolvente!

Ah... Aquele amor que não existe ainda...

Amor solidário, amor imponente, amor importante.

Amor sábio, iluminado.

Amor que perdoa por amor...

Amor companheiro que grita a dor

E chora o prazer...

Amor que proclama, invade e

não deixa espaço para a agonia.

Amor meu que me chama de menina mesmo

Diante da MULHER.

Aquele amor...

Aquele somente meu!


(Cida Luz)

15/05/08

Bsb/DF

Respeite autoria.